O impacto da Revolução Industrial no vestuário e as mudanças na moda europeia

João Francisco da Luz Souza

Resumo


A presente revisão bibliográfica aborda as consequências da Revolução industrial na indústria têxtil europeia – em especial nos novos instrumentos de fiação, tecelagem e costura surgidos do século XVIII até os anos finais do século XIX, bem como na indústria do algodão. Sequentemente, trata do impacto das novas tecnologias no vestuário europeu entre a população geral, na produção em massa e na moda entre a aristocracia. O trabalho busca traçar um panorama da sequência de invenções que possibilitaram o sucesso da indústria do vestuário na Europa e sua transformação em carro chefe do processo industrial até depois da virada do século. Por fim, delineia uma breve análise de como esse desenvolvimento no maquinário foi traduzido para os objetos de consumo, como o próprio advento industrial colaborou para uma mudança de pensamento da sociedade e como tal mudança se fez nas roupas usadas à época. O objetivo final desta pesquisa é compreender a influência da revolução industrial não só para as técnicas de produção de tecidos e roupas, mas também no aspecto social e para o que no futuro viria a ser a indústria da moda

Texto completo:

PDF

Referências


BAINES, Edward, History of the cotton manufacture in Great Britain. London: H. Fisher, R. Fisher, and P. Jackson, 1835. Disponível em: https://archive.org/details/historyofcottonm00bainrich/page/n9 Acesso em: 13 maio 2019.

BURN, Richard, Statistics of the Cotton Trade, 1847 In: A. Aspinall, E. Anthony Smith, eds., English Historical Documents, VIII, 1783-1832, New York: Oxford University Press, 2007.

DRAZNIN, Yaffa C. Victorian London's Middle-Class Housewife: What She Did All Day, 2001. Westport, Connecticut: Greenwood Press.

EDMONDS, John H. Textile Dyeing through the Ages, Folk Life, vol. 42:1, 2003. p. 61-72.

HAHN, Barbara. Spinning through the History of Technology: A Methodological Note, Textile History, vol. 47:2, 2016. p. 227-242.

HOBSBAWN, Eric J. A era das revoluções: 1789 – 1848. 25. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

HUBERMAN, Leo. História da riqueza do homem. 13. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1977.

KÖHLER, Carl. História do vestuário. 3. ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009.

LAVER, James. A roupa e a moda: uma história concisa. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

LEVENTON, Melissa (Org.). História ilustrada do vestuário: um estudo da indumentária, do Egito antigo ao final do século XIX, com ilustrações dos mestres Auguste Racinet e Friedrich Hottenroth. São Paulo: Publifolha, 2009.

LIPOVETSKY, Gilles. O império do efêmero: A moda e seu destino nas sociedades modernas. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

MARSDEN, Richard. Cotton spinning: its development, principles, and practice. Londres: George Bell & Sons, 1884.

MOAH - Museum of American Heritage. History of the Sewing Machine, Disponível em: http://www.moah.org/virtual/sewing.html. Acesso em: 23 abr 2019.

ROCHE, Daniel. A cultura das aparências: uma história da indumentária (séculos XVIIXVIII). São Paulo: SENAC São Paulo, 2007.

STRAWBRIDGE & CLOTHIER’S. Strawbridge & clothier’s quarterly. Vol. 2 (1883). Philadelphia: The Company, 1883. Disponível em: https://archive.org/details/strawbridgecloth02stra. Acesso em: 13 mai 2019.

WATT, Melinda. Nineteenth-Century European Textile Production. Disponível em: Acesso em 23 abr 2019.

WRIGLEY, E. A.; SCHOFIELD, R. S. The Population History of England, 1541–1871: A reconstruction. Cambridge: Harvard University Press, 1981.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional..